e o vencedor não é… – and the winner is not…

(scroll down for english)

O filme que não venceu o Óscar é um dos meus preferidos. Não deveria ser candidato aos Óscares, porque sai fora desse mundo de músicas batidas e lugares comuns. O filme que não venceu o Óscar são vários, é verdade, mas para mim o filme que não venceu o Óscar é aquele que não poderia vencê-lo por ser demasiado belo e sublime. Cá em casa já o vimos vezes sem conta. “Ernest e Celestine” passou discretamente nos cinemas em Portugal. Tão discretamente que nós, que vimos uma notícia da sua estreia (seria daí a umas semanas) nunca o conseguimos encontrar!!!
Mas ele vive cá em casa, numa caixa mágica, e faz parte da nossa fantasia. Em francês, língua original, o que não representa um problema pois vêmo-lo em família e vamos traduzindo por miúdos, como se fazia antigamente, no tempo em que não havia dobragens.

O que sim, vimos no cinema, e marcará a história da minha vida, pois pela primeira vez fomos todos juntos ao cinema (sim, o primeiro cinema do Gil!!) foi “Frozen”. Foi uma bela tarde de diversão, cheia de pipocas e emoção manipulada pela musiquinha do costume no sítio certo, beldades nórdicas que se transformam em barbies vamps, o mau que se revela gratuitamente mau no fim do filme… Porque é que este filme ganhou um Óscar não posso entender. Sobretudo não entendo nada dos Óscares.

De tal modo que só uns dias depois me apercebo que já foram entregues os prémios da fantochada, na mais cara feira de vaidades do mundo. E eu, que por norma só escrevo neste blogue sobre aquilo que me faz feliz, não resisto a desabafar: detesto futilidades.

PS – não faço referência ao último filme de Miyazaki também candidato (o último da sua carreira, pois este mestre da animação já anunciou que se vai retirar) pois ainda não o vi. E se arriscasse opinar cairía na tentação de fazer julgamentos arbitrários e tendenciosos, não fosse eu (nós – com o aval do público menor cá de casa) uma admiradora do trabalho e das histórias contadas por este homem.

Sobre os outros dois filmes, vi os trailers e, enfim, seriam dois perfeitos candidatos.

The film that didn’t win the Oscar is one of my favorites. It shouldn’t be a nominee, as it is out of this world of commonplaces. The film who didn’t win the Oscar is more than one, that’s true, but to me, the film who didn’t win the Oscar is the one that couldn’t have won for being too beautiful and sublime. We’ve seen it a thousand times. “Ernest & Celestine” was shyly presented at the theaters in Portugal. So shyly, we didn’t see it, although we were expecting it.

But it lives in our home, in a magic box and is part of our fantasy. It is in french, original language which is not a problem because we like to watch it all together and translate it to the kids, just like in the old days.

What we did see in the theaters, and will never forget it as for the the first time we went all together to the movies (yes, Gil’s first cinema experience!!) was  “Frozen”. It was a great fun afternoon, with popcorns and  emotions manipulated by the music in the right place, just like a movie made by prescription, with nordic beauties that transform into vamp barbies, a mean man that reveals his heartless feelings in the end of the story… Why it won the Oscar, I have no idea. Most of all, I don’t understand a thing about the Oscars.

In such a way, that only a few days later I realize they have already revealed the winners of this puppetry show, in the most expensive vanity fair in the all world. And I, who prefer to write about the bright side of my life, can’t resist a confession: I hate futility.

PS – I am not commenting on the, also candidate, Miyazaki’s “Wind Rises” (who took back saying this was his last film), as I’ve not seen it yet. And if I would risk an uninformed judgement it would be quite tendentious, as I am (as well as my kids) a big admirer of his work and storytelling.

About the other two films, only saw the trailers, and they seem like perfect nominees.

Advertisements