Ainda sobre “A lista” e o ridículo

Mesmo a propósito do post que escrevi há dois dias atrás, sobre “a lista de pedófilos” (que nem sequer se deveria chamar assim, pois nem todos os abusadores de menores são pedófilos, e nem todos os pedófilos são abusadores, mas isso era tema para outra conversa), hoje saiu um artigo muito elucidativo no expresso, aprofundando uma série de elementos que põem em causa a existência da mesma (já para não falar da sua ilegalidade).

Aproveito para referir uma dedução muito pertinente de um amigo, ontem no facebook: “esta porra da publicitação da Lista de “pedófilos”, e tendo em conta que a maioria das agressões sexuais a menores são entre familiares, é apenas mais uma pressão para que os casos não sejam denunciados.
É que é a própria familia “agredida” que é exposta!”
(O João tem esta tendência para dizer grandes verdades, com aquele ar de quem está sempre a brincar).

Advertisements